Featured Slider

Um texto sem formalidades.

Let it be,
Let it go,
Let it flow.

Let it flow?
A única direção em que eu fluo... é para baixo.

Necessidade de aconchego. Antigo.
Coração acelerado. Antigo.
Rostos conhecidos. Memórias que não morrem jamais.
Até quando?

O que ele é?
Uma memória. Antiga.
Necessidade de algo novo.
Nas catracas da escola, meu coração dispara.
Com tua voz, teu sorriso, tua risada. 
Meu coração dispara.
Na tua imagem imortalizada.

Por uma fração de segundo somente, sou sua.
Meu coração já fez morada. Fez morada em outro coração.

Te quero comigo pra sempre. Mesmo?
A vontade de ver saltar o coração é perigosa e traidora.

Escuta essa vontade. Mas não a realiza.
Escuta com maturidade.
Ouve-te. Analisa-te.
E segue em frente.

Com os olhos no futuro,
No certo, no seguro, na opção feita hoje em dia.

Não te trai com sua antiga versão. 
Viva sua personalidade de hoje.
Tenha-se. Apodere-se.
Entenda suas vontades,
Reflita,
Sorria.

Dê um tempo a elas.
E deixe-as voarem, livres,
Da mesma maneira que vieram,
Irem-se.


Christa_illustration


Eu em você.

Sucumbir.
Deixar-se vencer, entregar-se, perder uma batalha.
E gostar disso.

Ceder.
Ceder às evidências ou provas, ceder às vontades, ceder aos desejos. 
E gostar disso.

Render-se.
Deixar-se cair, dominar, existir. 
Sentir. Minha presença na tua.

Tão simples, é só sucumbir. 
Tua vontade treme dentro desse teu corpo enrijecido pela razão.
Sempre a razão suprimindo teu desejo de somente... estar.

Larga de ser um filho da puta moralista e vem. 
Cede. 
Te rende.

Perde essa batalha.
Você vai gostar.

No momento. Aleksandra Waliszewska



After Laughter

Depois das risadas,
Vêm as lágrimas
É algo enraizado no próprio ser. Ser humano.
A melancolia é instinto.
A felicidade um momento. A tristeza o longo caminho.

Depois das risadas, vêm as lágrimas: 
A ordem natural da insatisfação humana.
Lágrimas de ingratidão.
Peso do vazio existencial.
Sua falta ainda mora em mim.

Dia após dia.


|| AFTER LAUGHTER ||


Sara Cook

Todo amor

Todo amor
Vivido, destruído, renegado
Tem suas regras
Implícitas. Impostas.

Atos negativos
Gritam quando inexistentes.

Todo amor, por mais que
Vivido, destruído, renegado
Se não vira raiva,
Vira rima.

|| TODO AMOR ||


Artista Desconhecido

Perigoso

Lidar com você sempre foi brincar com fogo. 
Machuca, arranha, abre feridas. 
Mas eu gosto. 
E você gosta. 

Desse perigo pouco conversado, pouco compreendido.


Mascarado por cínicas risadas, apunhalamos um ao outro com palavras, num ritual quase sádico masoquista. 
Mas eu gosto. 
E você gosta.

Há medo, há vontade. 
Tua presença grita em minha garganta, um paixão quase que real, quase passada, quase alcançada. 
(censura da autora)
É perigoso. 
Mas eu gosto. 
E você gosta.


Quem dá o próximo passo tem tanto a perder. Tanta vontade. Pouca cabeça.

|| Perigoso ||


Annegret Soltau


Nota pessoal: Todo poema nasce do sufoco, da tristeza.

Poema escrito cinco dias antes de um colapso nervoso. Realmente: perigoso.